Fanfic de Feérica

Olá feéricos! Esse post como podem ver é uma FanFiction do livro Feérica da Carolina Munhóz, eu fiz a uns anos atrás para um concurso de fanfics do fã site Portal Carol Munhóz, onde tinha limite de palavras então você pode estranhar o tamanho da história e o curto prazo de tempo com o decorrer dos acontecimentos. Encontrei a um tempo, reli e pensei nossa que estranha essa história haha, mas tem várias coisinhas legais que me fazem lembrar aquela leitura gostosa e é especial pra mim, então porque não colocar no blog? Eu indico para quem já tenha lido Feérica, of course e O Inverno Das Fadas, ou saiba um pouco por sima sobre o que a história se trata, pois há elementos importantes na fanfic que migraram dessas duas obras da autora. Me deixem nos comentários o que acharam e caso você goste de fanfic me diga qual sua favorita ou sobre qual história você gostaria de ler uma fanfic! Boa leitura e lembre-se faz muito que escrevi! rs

AGORA  A  ESTRELA  VAI  BRILHAR  EM  ABLACH

Fazia pouco tempo que Violet Lashian tinha chegado a Ablach – sua dimensão – e nas primeira semanas ela foi recebida com o carinho de todos da família até mesmo os colegas da escola, que nunca trataram bem a menina. Ela foi surpreendida com cartazes e pessoas usando alguns acessórios da cor violeta ou roxo. Percebeu que sua coragem, determinação e talento foi reconhecida pelo seu povo, e agora ela era respeitada e muitas vezes imitadas por algumas pequenas fadas mais jovens que ela, e isso era o céu para ela, em sua mente ela tinha realmente fãs, pessoas que não a criticavam mais ou julgavam seu estilo, agora elas a valorizavam, invejavam e muitas vezes adquiriam algumas peças muito parecidas com a de Violet pela Companhia de Trafego de Ablach, até seus penteados era copiados, e sobre tudo a cor de seu cabelo, o fato de ser marcado por uma maldição não era mais um mistério e sim tendência, a maioria das garotas tinham pelo menos uma mecha do seu cabelo pintado de roxo, agora o ar misterioso dos belos fios de cabelo de Violet eram moda, uma imagem que todas a fadas mais jovem gostariam de ter.

Alguns meses se passaram e, ao sair de casa Violet não via mais com tanta frequência o ar misterioso do roxo, e muito menos elogios, aquela fama estava prestes a se esgotar.

A feérica estava indo para o Centro de Estudos Mágicos, era seu último ano de formação na área em que gostaria de se especializar, nesse caso fama, moda, estilo, tudo o que gira em torno de uma artista, ou seja, ela uma cantora. Sentiu uma revirada no estomago, e isso foi estranho, pois essa sensação vinha na época em que ela sofria o deslocamento geral de todos que ficavam em sua volta, e mesmo rodeada de pessoas se sentia sozinha. Ela sentiu os olhares que vinha como laminas afiadas para seu ser de algumas pessoas que passavam pelo corredor e outras que estavam em grupinhos fofocando, parecia como se aquela época estivesse chegando novamente. Violet começou a se sentir sufocada e apavorada, e foi direto para a biblioteca, procurou um corredor vazio e pouco iluminado, e pensou com suas asas.

“Santo Colar de Titânia, será que tudo está para se repetir de novo?! Não! Depois de tudo que passei, tudo que eu tive que passar na Terra, ter realizado o meu sonho de fazer sucesso. Eu não posso voltar a ser a Violet fraca, ridícula e cega, de novo não. Preciso começar a agir e rápido, quantos fãs eu já não perdi, não vejo mais nenhum fã clube composto das fadas mais novas. Será esse o meu fim?! Ah, Violet para de drama, vamos lá, você só precisa de alto confiança, é claro que você é demais, e certamente deve haver algum fã clube louco para tirar fotos com você, é só saber se interagir!”

E lá foi Violet, desfilar pelo colégio com sua alto confiança, e não foi que a feérica achou mesmo um dos últimos fã clubes que ela tinha! E como ela sabia que o que é bom dura pouco.

-Violet Lashian! Não acredito que está aqui! Eu te adoro tanto! – Disse uma das fãs do clube da feérica que por sinal estava com seu cabelo inteiro pintado de roxo, unhas, sapatos, peças de roupa e alguns acessórios do mesmo tom.

Todos do fã clube ficaram surpresos por Violet ter ido até eles, pois como era uma estrela em Ablach raramente alguém á via circulando pelo colégio, a fada chegava e ia diretamente para sala com algumas pessoas a rondando e assim que as aulas acabavam tinha que ficar aguardando o local ficar quase vazio, para não haver tumultos por conta de sua presença.

-Olá meus violetcs! – Os fãs de Violet eram caracterizados por um apelido também, que expressava qual era o ídolo de um certo ser. – Como vocês estão? Não acredito que tenha sobrado algum fã clube meu, isso é então esperançoso! – Disse ela com um ar de magoada por si mesma.

-Mas é claro que sobrou! Sempre vamos estar ao seu lado minha diva, você é uma inspiração para nós. – Disse uma outro fã, que gostava de escrever.

-Nós também fomos excluídos por varias pessoas, até que você apareceu. – Falou a jovem Pink, que parecia ser a mais fanática por Violet, e compunha músicas.

-E dai em diante cada um de nós começou a exercer o que gosta, como escrever historias, músicas, desenhar e até elaborar peças de roupas. Você é um ícone para nós! – Disse Renna, a bela fada que parecia ser a mais velha delas, e que se vestia muito bem por sinal.

-Quanto amor! Queria tanto continuar sendo esse ícone de inspiração e determinação, mas não sou essa feérica mais… Há meses eu não faço uma boa letra de música, um look inovador e penteados incríveis… Não tenho mais de onde tirar sentimentos, o que me restaram foi de magoa e a perda do meu próprio eu mágico. – Violet estava inconsolável, não se conformava por ter deixado Mike na Terra, e por ter se tornado tão famosa e consumidora que aos poucos perdeu o que tinha de mais precioso, a magia do seu ser.

-Violet somos seus fãs! Seu porto seguro, sempre vamos te ajudar, e começaremos agora! – Disse a pequena Pink, com um tom autoritário.

-Obviamente, você tem nas suas mãos uma artista, uma compositora de musicas, escritora, e uma estilista! Tem time melhor que esse para o caminho da fama? – Disse Ally a artista.

-Prontos para começar então? – Pronunciou Renna.

-Agora mesmo, já posso imaginar o final dessa historia. – Falou Leslie, anotando tudo em seu caderno.

Dali por diante todos do fã clube começaram a ajudar Violet, compuseram músicas, escreveram historias sobre a fada que eram distribuídas exemplares pelo colégio, fizeram quadros, construíram uma pequena coleção das peças mais comentadas da feérica, mas nada dava resultado. Até que haveria um evento muito importante em Fairyland, seria o festival de talentos feéricos, e o fã clube Violetcs tinham conseguido colar Violet como um dos artistas a se exporem. Faltavam apenas 2 semanas.

fb_img_1458077740703.jpg

Com o tempo Violet começou a se afastar do mundo, voltando praticamente para sua antiga vida, mas agora ninguém ficava falando ou observando a fada e

criticando seu estilo, agora a feérica estava literalmente excluída, tanto que ninguém mais a notava nessa dimensão! Violet Lashian tinha sido esquecida até por si mesma.

Era uma semana normal, a fada estava em um curto intervalo entre uma de suas aulas, e foi para o jardim do Centro de Estudos Mágicos, um lugar comum para os “excluídos”. Mas o que não era comum é ver um jovem encapuzado com panos leves com um claro tom de cinza prateado. O tempo que Violet frequentou aquele jardim jamais tinha visto um ser tão excluído quanto aquele parecia ser, e ninguém sabia nada sobre o rapaz, somente que ele nunca se habitava em um lugar por muito tempo, sempre desaparecia depois de certos acontecimentos estranhos de encantamentos.

Violet como sempre foi falar com a criatura, ainda lhe restava um pouco do seu ser extrovertido.

-Olá, quem é você?

-Encantado. – Disse o rapaz, escondendo sua face disfarçadamente em sua capa.

-Ah! Para com isso. O prazer foi meu! Qual o seu nome? – Disse a fada, com um tom de vergonha.

-Me chamo Encantado, fada. – Disse o rapaz. Ao dizer isso Violet foi passando de seu tom de pele rosado para roxo e ficando vermelha de vergonha.

-Oh! Mais é claro, me desculpe. Encantada estou eu. – Disse Violet, tentando começar uma conversa. Mas o rapaz só a evitava, e ela não tinha visto sua face e nem ele a dela. -Olhe para mim, por favor. Ninguém sabe mais do que eu como é péssimo ficar isolado, e eu sei que é bom quando nós vemos que há alguém que nos enxergue.

Encantado olho nos olhos de Violet, assim que seus olhares se cruzaram os dois sentiram-se como se seus corações fossem imãs.

-Tenho que ir, foi um prazer conhecer um ser tão feérico. – Disse o elfo, e a fada sentiu que aquilo foi a coisa mais linda que ela já viu em toda sua vida.

-Não espere, por favor. Me conte um pouco de você. Estou sendo rejeitado por tanta gente, até por mim mesma. Gostaria de saber se você é assim também, já que é um dos excluído, não me leve a mal. – Disse Violet, que se sentiu encantada pelo rapaz, era até capaz de escrever uma música, um livro, fazer quadros, o que fosse, pois não lhe faltava mais inspirações.

Os dois seres feéricos ficaram conversando até o final da tarde, e um foi se sentindo mais atraído pelo outro. Violet e Encantado se falavam todos os dias nos intervalos de aulas. E Violet sempre que o via lhe faltava ar e era como se tudo que ela precisasse estivesse apenas nele. Ela havia composto 5 músicas, e as letras era incríveis, estava confiante que assim que se apresentasse no evento de Fairyland seu ser magico e cheio de vontade de viver voltaria a tona. Faltavam apenas 2 dias.

-Encantado! Espere por mim! Qual o motivo das suas 2 ultimas faltas ao colégio? – Perguntou Renna, preocupada, pois nos dias que Encantado faltou a crise de depressão de Violet tinha atacado. -Violet está péssima, ela vive dizendo que precisa te ver.

-Eu não posso ver ela agora, estou voltando para minha casa. – Disse o elfo se escondendo da fada, para que ela não o veja.

-Ela está no jardim. Por favor, se puder ajuda-la, ajude. Ou ao menos de uma explicação.

A fada se retirou, e ela não estava brincando, Violet estava mal, e novamente Encantado estava partindo, por conta de mais um encantamento, mas esse seria o último.

-Encantado! Você esta indo embora? Mas qual o motivo? O que você fez? – Perguntou desesperada, pois não podia deixar ele partir, para ela, ele era a sua vida. -Eu pesquisei e me informei, não há nenhum encantamento em Ablach, todos estão bem, e a maioria das pessoas disseram que você é um ser maravilhoso, você é um ser maravilhoso pra mim.

-Eu preciso ir, não posso ferir mais os sentimentos de ninguém. Sim, há encantamento em Ablach, e foi culpa minha, perdão. – O elfo foi se retirando, até que Violet o abraçou com tanta força, que foi impossível ele ir embora sem ao menos dar uma ultima explicação.

-Eu não posso mais viver sem você, esses dois dias foram os dias mais vazios e atormentados de todos da minha vida. Eu escrevi músicas e fiz quadros, tudo sobre você. – Disse a feérica, desesperada.

-Você foi encanta. Eu sinto muito, não queria. Mas você é um ser tão incrível, que não pude me manter longe de você. Mas esse caso é diferente, também me sinto encantado. Meus pais pediram para que eu voltasse, não posso por mais nenhuma vida em risco. Perdão. – Disse o elfo, come se tivesse apunhalando o seu coração e estraçalhando o de Violet. Ele foi se afastando.

-Eu sei o que você, desde o começo, e fadas como eu não podem ser tão afetadas como você pensa. Meu cabelo é um sinal visto como maldição, você sabe a minha historia, e eu sei a sua. – Disse Violet surpreendendo o garoto – Eu não estou encantada, esse sentimento é real, e quando você partir ele vai continuar, e eu não vou morrer. O que tem a me dizer Encantado?

-Sou um Leanan Sídhe, e estou te amando Violet.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *